Uncategorized

Pausa para o jabá

foto: divulgação

Hoje, 04 de junho, estreia em Brasília a peça “Deus e o Diabo no bar da Esquina”. Eu super recomendo porque, além da peça ser bem bacana, meu irmão é um dos atores (Marcelo Coutelo), eu sou irmã coruja, eu faço jabá, o blog é meu e eu posso! hehe
Mas, falando sério, a peça é realmente boa e os atores são de primeira! Pode ir que eu garanto!

Vou colocar aqui a matéria do site Cerrado Mix

Com texto do dramaturgo Antônio Roberto Gerin, indicado ao prêmio Shell 2005 na categoria melhor autor, a companhia de teatro Assisto Porque Gosto apresenta, de 4 de junho a 2 de agosto, no Teatro Goldoni – Casa D’Itália, o espetáculo Deus e o Diabo no Bar da Esquina.

O assassinato de um dos sócios de uma bem sucedida empresa, planejado por seu parceiro, é o ponto de partida de um intrigante encontro entre Deus e o Diabo, os únicos cientes de que o crime acontecerá no bar da esquina. Deus incorpora a vítima, Constantino, e o Diabo incorpora o algoz, Valdemar. A partir daí, inicia-se o embate entre Eles, sobre a possibilidade de se evitar ou não o assassinato. (CRIME)

Deus mostra-se soberbo, inabalável e altivo, e não interfere gratuitamente no destino do homem, na esperança de que ele busque sua própria redenção sozinho. “Nessa lógica, o homem detém o livre arbítrio e por isso torna-se responsável por seus atos”, completa Antônio Roberto Gerin, autor da trama.

O Diabo, em contrapartida, se apresenta mais humanizado. Assume as dores e os conflitos humanos. Cansado de ver tanta mazela humana, não deseja que o crime ocorra, alimentando profunda esperança de que vai conseguir evita-lo.

Essa profunda e inabalável esperança de que as coisas vão mudar para melhor, essa crença na redenção do homem é que move o Diabo, o que o faz humano e simpático, diferente do Deus. “Resumindo, quanto aos papéis de Deus e o Diabo na trama, digo que Deus é Deus, enquanto o Diabo é cada vez mais homem, o que obriga o homem (público) a se ver nele, com espanto e simpatia”, conclui Gerin.

FICHA TÉCNICA:
Texto: Antônio Roberto Gerin.
Direção: Humberto Pedrancini.
Assistente de direção: Sílvia Plínio.
Cenografia e adereços: Maria Carmen.
Figurino: Cyntia Carla.
Iluminação: Marcelo Augusto.
Produção: Sílvia Plínio e Antônio Roberto Gerin.
Assessoria de comunicação: Rodrigo Machado.
Assessoria de marketing: Antônio Roberto Gerin.
Programação visual: Lavínia Design Ltda.
Fotografia: Grupo Magneto/Magneto Fotografia.
Produção executiva: SR Produções Culturais Ltda.

Informações e reservas: 3443.0606.

Preço: R$ 30,00 inteira e R$ 15,00 meia entrada

Anúncios

2 comentários em “Pausa para o jabá

  1. Oi Camila! Desculpe desviar do assunto do post, mas vim agradecer seus comments no meu blog! Também achei aqui muito legal, viu? Olha só, respondendo ao comentário, eu vi aqui que vc fica "chateada" por que aí em Recife não faz muito frio… Eu imagino que calor sempre deve ser chato, mas o frio que tá aqui em SP tá de doer, viu? Eu que tô com invejinha dos recifenses! Eu aaaaamoooo o nordeste! Mas enfim, vamos continuar trocando figurinhas fashion e outras afins! Beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s